No meio do asfalto

ó garotinha, sem banho
pequena (flor) no asfalto
onde o sonho dessa noite (?)

onde os conceitos
os narcóticos
as repugnantes pedras (?)

se tu pudesse sonhar, dormir
se tua boca pudesse unir-se à poesia

* * *

que teus humores filtrem-se
nessa cápsula de fumaça
entorpecendo / apaziguando
– tuas retinas fatigadas

Vicente Freitas

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s